Agulhas Térmicas de Campo para Medição de Resistividade / Condutividade Térmica FTN02

FTN02

O Sistema de agulha térmica FTN01 permite a realização rápida, em campo, de medição da resistividade térmica ou condutividade de solos, em particular em torno da profundidade típica de cabos de alta tensão subterrâneos. O FTN01 é projetado com foco na robustez e economia de tempo, enquanto ainda oferece uma precisão suficiente para medições de campo típicas. O sensor (TP09) baseia-se na teoria No-Steady-State-Probe (NSSP) e é montado na ponta da lança LN01. O sistema é operado através do controle de mão CRU01.

SOLICITAR ORÇAMENTO

INTRODUÇÃO

O método de medição baseia-se na denominada técnica No-Steady-State-Probe (NSSP), que usa uma sonda (também chamado sensor de propriedades térmicas ou agulha térmica) em que um fio de aquecimento e um sensor de temperatura são incorporados. A sonda é inserida no solo. A partir da resposta de aquecimento a resistividade térmica (ou o valor inverso, a condutividade) do solo pode ser calculada. A medição com FTN está de acordo com o Guia do IEEE para medições de resistividade térmica do solo (IEEE 442-1981), bem como com a norma ASTM D 5334-00: Método de Teste Padrão para Determinação de Condutividade Térmica do Solo e rochas moles. A principal aplicação do FTN é o  levantamento de rota térmica de cabos de energia elétrica de alta tensão e de condutores aquecidos.

Uma sonda NSSP consiste de um fio de aquecimento que atua como uma fonte de calor em linha perfeita e um sensor de temperatura capaz de medir a temperatura dessa fonte. A sonda é inserida no solo que é investigado. O princípio em que se baseia o conceito NSSP está em uma propriedade única de uma fonte de calor em linha: após um período transitório curto a subida de temperatura é linear, dependendo apenas da potência do aquecedor, Q, e da condutividade térmica térmica média. Ao medir a potência do aquecedor e traçando a temperatura x tempo (tipicamente durante 5 minutos), a condutividade térmica pode ser calculada.

PROJETO DO FTN

Aptidão para levantamentos de campo: O principal foco da FTN01 é a capacidade de realizar medições de campo. Isso implica em ser portátil e que o sistema seja suficientemente robusto para sobreviver a inserção manual na maioria dos solos comuns. O sistema funciona como uma unidade independente, alimentado por baterias no CRU. A Recarga pode ser feita por uma fonte de 12VDC, uma bateria de carro usando o adaptador para carro CA01, ou ainda em uma tomada comum 220/110 VAC utilizando o adaptador WSA01.

Economia de tempo: Muitos cabos e dutos são enterrados a uma profundidade de cerca de 1,5 m. A lança LN01,  de 1,5 m, serve para evitar a necessidade de cavar um grande buraco de acesso. Em geral, um orifício com pequeno diâmetro é perfurado a uma profundidade um pouco menor que a profundidade requerida de medição (geralmente usando uma broca de solo) e então a LN01 é inserida. A própria sonda TP09 sonda (17 cm de comprimento na ponta de LN01) é, então, trazido para baixo (martelado ou pela força manual) no solo não perturbado.

O processamento automático: O CRU01 processa automaticamente os dados de medição, apresentando o resultado final e uma indicação da qualidade da medição. O CRU01 pode arquivar até 30 medições. Em caso de revisão, o resultado final pode ser recalculado pela análise dos dados medidos em uma planilha eletrônica (como o Excel) ou um programa de matemática.

Calibração local: a verificação da estabilidade total do sistema pode ser feita por meio de testes repetidos em glicerol. Este teste também pode ser realizado em campo.

OPÇÕES

  • Projetos alternativos: Hukseflux é especializada em projeto NSSP. Modelos alternativos, por exemplo para uso em laboratório, estão disponíveis na Hukseflux.
  • Sugere-se também consultar os folhetos de sistemas complementares MTN e TNS, bem como TPSYS, que é mais preciso, mas tem agulhas menos robustas.

SUGESTÃO DE USO

  • Levantamento de rota térmica.
  • Os estudos de solo e rocha mole.
Método de teste ASTM D 5334-00 e padrão IEEE 442-1981
A análise dos dados Primeira análise pela CRU, segunda revisão de dados armazenados no PC (como exigido pela ASTM)
Intervalo de medição 0,1-6 W / mK (todos os solos conhecidos)
Faixa de temperatura TP -30 - 80 °C
Faixa de temperatura CRU 0-50 °C
Precisão (a 20 °C) + / - (6% + 0,04) W/mK
Duração do ciclo de medição 300 s (típico)
Requisitos de energia Recarga: 12V, 2 Watt (max), normalmente a partir de uma bateria de carro
Armazenamento de dados Até 30 medições
Comprimento LN, TP 1,5 m, 0,17 m
Certificação CE Conformidade com as diretivas CE
Software Incluso; novo software pode ser baixado através da porta RS232
Comunicação de dados Porta serial RS232
Requisitos da ISO Adequado para uso por laboratórios certificados ISO

Como podemos te ajudar?

FALE COM UM ESPECIALISTA